Solidariedade com as vitimas e reconhecimento pelo trabalho abnegado das organizações envolvidas com combate aos incêndios de Pedrógão Grande e concelhos adjacentes

Face à tragédia resultante do incêndio que afectou os concelhos de Pedrogão Grande, Góis e outros concelhos adjacentes a Direccção da Associação Conquistas da Revolução, na sua reunião de 22 de Junho de 2017, decidiu expressar:
  1. A sua profunda consternação pela perda de vidas nesta catástrofe;
  2. Os pêsames e sentimentos de solidariedade a todos os familiares e amigos das vítimas;
  3. O seu reconhecimento pelo abnegado e corajoso trabalho dos bombeiros e de outros profissionais da protecção civil realizado em condições atmosféricas manifestamente difíceis e profundamente adversas à missão de combate a incêndios.

SOLIDARIEDADE COM OS PRESOS PALESTINOS EM GREVE DA FOME NOS CÁRCERES DE ISRAEL

A ACR foi uma das 25 ONGs portuguesas que se juntou à jornada de solidariedade com os 1500 palestinianos encarcerados por Israel.

Resultado desta solidariedade internacionalista e do heróico comportamento dos presos políticos da palestina resultou na satisfação de quase todas as suas reivindicações.

Transcrevemos o comunicado 11/2017 do MPPM

MPPM SAÚDA VITÓRIA DOS PRESOS POLÍTICOS PALESTINOS EM GREVE DA FOME
O MPPM dirige uma saudação calorosa e emocionada aos presos palestinos nas cadeias de Israel que acabam de alcançar a vitória da sua greve da fome.
Após negociações com as autoridades israelitas, os presos palestinos decidiram suspender a sua greve da fome, que durava há 40 dias: uma das mais prolongadas das muitas que já tiveram de realizar ao longo dos anos.
Trata-se de uma vitória de grande importância. As autoridades israelitas tinham afirmado recusar negociações e foram obrigadas a negociar com os dirigentes dos grevistas da fome, incluindo Marwan Barghouti. Tinham respondido à greve da fome com a repressão e foram obrigadas a ceder e a satisfazer muitas das reivindicações dos presos.
Os presos definiram objectivos concretos — de melhoria das suas condições — para a sua luta e levaram-na a cabo com tenacidade e unidade, pondo em perigo a própria vida. A vitória deve-se assim, em primeiro lugar, ao verdadeiro heroísmo dos próprios grevistas da fome.
É uma vitória também de todo o povo palestino, que apoiou maciçamente os seus presos com múltiplas acções de solidariedade, duramente reprimidas pelo ocupante israelita.
E é ainda uma vitória do amplo movimento de solidariedade que a greve da fome dos presos palestinos suscitou no mundo inteiro, inclusive em Israel. Em Portugal, apesar do silêncio generalizado dos meios de comunicação social, também a voz da solidariedade se fez ouvir, nomeadamente através do voto aprovado pela Assembleia da República e da declaração conjunta de 25 organizações, por iniciativa do MPPM.
O MPPM, destacando mais uma vez a importância da vitória desta greve da fome, recorda que a solidariedade com os presos políticos palestinos nas cadeias de Israel não pode cessar até à sua libertação.
O MPPM faz votos de que a magnífica unidade dos presos de todas as facções palestinas, que lhes permitiu alcançar a vitória, possa ser o prenúncio de um reforço da unidade de todas as componentes do movimento nacional palestino na luta vitoriosa por uma Palestina livre, soberana e independente, com capital em Jerusalém Oriental.
Lisboa 29 de Maio de 2017
A Direcção Nacional do MPPM

A ACR em Viseu no Encontro Nacional da Juventude

A convite do Conselho Nacional da Juventude, deslocaram-se no passado dia 25 de Maio ao Pavilhão Multiusos de Viseu, Manuel Begonha, Presidente da Direcção e Henrique Mendonça Vice Presidente da AG, para intervir no espaço " Á CONVERSA COM" no Encontro Nacional da Juventude. Perante uma assistência numerosa, muito atenta e participativa, trataram-se temas desde a apresentação dos objectivos e actividades da ACR, ás causas que conduziram ao 25 de Abril, ao golpe militar e especialmente ás acções revolucionárias ocorridas nos três governos provisórios presididos pelo General Vasco Gonçalves ,até á consolidação das Conquistas da Revolução e á necessidade de as defender, bem como á Constituição da Republica.  Abordaram-se ainda as sequelas da Guerra Colonial reflectidas nos deficientes das FA`s e á forma como são olhados pelo Estado.
 

Comemorações do 25 de Abril na Escola Básica do Lumiar

A 22 de Maio a ACR, representada por Manuel Begonha e Henrique Mendonça, esteve na Escola Básica do Lumiar numa conversa conjunta com alunos do 4º ano, professora, pais e avós.
Foi uma manhã muito interessante, não só pelo interesse manifestado pelos alunos, mas também pela sua participação activa.
Os pais e os avós também deram a sua contribuição.
Experiência inédita que convém registar para futuras iniciativas.







20 de Maio - Tributo e evocação a Carlos Paredes - Rio Maior


Realizou-se no passado dia 20 de Maio, no Cine Teatro - Casa da Cultura de rio Maior, um tributo evocação a Carlos Paredes e apresentação do núcleo da ACR de Rio Maior.
Promovido pela Escola de Música da Asseiceira e Câmara Municipal de rio Maior, cuja Presidente, Dra. Isaura Morais, esteve na sessão e procedeu a uma intervenção, bem como o Presidente da Direcção da ACR.
Estiveram presentes cerca de 150 pessoas, tendo actuado Luisa Amaro e Gonçalo Lopes, Clave de Lua, A Nossa Guitarra, Manuela soares, O Grupo de Canto e a Tuna da Universidade Sénior de Rio Maior.
O principal dinamizador e congregador deste núcleo é o professor Augusto Figueiredo que tem produzido uma obra notável e corajosa com o objectivo de defender as Conquistas de Abril e aproximar todos das mais variadas manifestações cívicas e culturais.
A festa decorreu num ambiente de grande alegria, entusiasmo, confraternização e de esperança no futuro.















Comte Manuel Begonha lendo a sua intervenção
Em nome da Direcção da Associação Conquistas da Revolução, quero agradecer à Comissão Promotora desta homenagem a Carlos Paredes o convite para estar hoje aqui presente, nomeadamente à Escola de Música da Asseiceira e à Câmara Municipal de Rio Maior na pessoa da sua Presidente.
A ACR foi constituída para defender as grandes transformações sociais, políticas e culturais que resultaram da Revolução do 25 de Abril de 1974 e que hoje designamos por conquistas da revolução, muitas delas ainda consagradas na Constituição da República Portuguesa. É também nosso objectivo não deixar esquecer aqueles que se distinguiram pelo pensamento e obra produzida na correspondente construção e consolidação, dos quais destacamos o General Vasco Gonçalves patrono da nossa Associação. No campo da Cultura e especialmente no da música é justíssima esta evocação e tributo a Carlos Paredes, músico e compositor de relevância internacional que abriu novos mundos à guitarra portuguesa.
Sócio de Mérito da nossa Associação, passei a conhecer melhor o Carlos Paredes na 5ª Divisão do EMGFA, no organismo coordenador das Campanhas de Dinamização Cultural, no qual desempenhava funções no departamento de música, intervindo em várias sessões públicas.
Criou inclusive um método de ensino da guitarra para crianças que lamentavelmente se perdeu. Encontrei-me também com ele algumas vezes nas ruas de Lisboa. Curvava-se ligeiramente e começava a falar iniciando a conversa com um “Oh Amigo Begonha” e dedilhava as frases e compunha o pensamento, com um discurso genuíno e envolvente, mas sabia também ouvir e defender convictamente os seus profundos ideais. Era modesto e tolerante mas não gostava que lhe chamassem “Mestre” pois dizia-se funcionário público e na verdade era arquivista de radiografias no Hospital de S. José. No entanto também era forte. Vivia para não atropelar os outros, pouco ambicionando para si. Contudo era a tocar a sua guitarra que se transformava. Fazia com ela um corpo só, como uma chama de onde emanavam os sons da alma portuguesa.
É por isto que acreditamos que as ideias tal como os homens apenas morrem quando nos esquecemos deles.
E é porque pretendemos um Portugal com um futuro justo, livre e democrático alicerçado nos valores de Abril, é com muito orgulho que nos encontramos na apresentação do Núcleo de Rio Maior da ACR, cuja iniciativa na concretização deste espectáculo não queremos deixar de enaltecer. Aliás já o tínhamos comprovado nas homenagens aqui prestadas a Ary dos Santos e a Adriano Correia de Oliveira.
Não é possível nesta efeméride esquecer o empenhamento e dedicação do Prof. Augusto Figueiredo no levantamento deste Núcleo que consideramos uma obra de muito mérito e grande relevância.
Finalmente, quero agradecer e felicitar à Comissão Promotora e aos artistas, em especial à Luísa Amaro que tanto tem cuidado do legado de Carlos Paredes, aos técnicos e pessoal do Cineteatro-Casa da Cultura, à Universidade Sénior de Rio Maior, à Rádio Hiper FM, à Região de Rio Maior e a todos os presentes que tornaram possível este magnífico espectáculo a que estamos a assistir.
Desejo que esta evocação seja inspiradora para que continuem a luta pela defesa dos ideais do 25 de Abril e da Constituição da República Portuguesa.
Muito obrigado.
Viva Carlos Paredes!






12 de Maio; Barreiro - As questões da PAZ no Mundo de Hoje

“As Questões da Paz no Mundo de Hoje” foram tema da Conferência que na sexta-feira, 12 de Maio, na Cooperativa Cultural Popular Barreirense, teve como orador o Coronel Baptista Alves, Vice-Presidente da Associação Conquistas da Revolução.

A iniciativa enquadrou-se no âmbito do Projecto “Conhecer a Guerra Defender a Paz”, cuja Comissão Coordenadora, para além da CCPB, é constituída pelo Agrupamento de Escolas de Casquilhos, a Câmara Municipal do Barreiro, o Centro de Formação das Escolas do Barreiro e da Moita e a Rede de Bibliotecas Escolares.

Carla Marina, Presidente da Cooperativa, dirigiu a iniciativa propiciadora de um qualificado debate que se assumiu como ante-câmara da presença da ACR no Agrupamento de Escolas, junto de professores e alunos, no 1º período do próximo ano lectivo.


Núcleo do Porto

O nosso núcleo do Porto faz BALANÇO da publicação do livro
“A conquista dos direitos democráticos”

De 14 de Novembro de 2016 a 29 de Abril de 2017 o livro foi apresentado em:
- Porto – Sindicato Têxtil
Com o Presidente da ACR, M.Begonha, o prefaciador, JSarabando, e os autores AMadureira, Baptista Alves, Alfredo Maia, Rui Pereira, Manuel Freitas e Castro Carneiro.
Participação do colectivo Uma Vontade de Música, dirigido por Guilhermino Monteiro
-Lisboa – Casa do Alentejo
Com o Presidente da ACR, JSarabando e Pedro Tadeu
- Vila Nova de Gaia – Biblioteca Municipal
Com JSarabando, Alfredo Maia e Castro Carneiro
Momento de poesia, com Olga Dias
Ermesinde – Junta de Freguesia
Com JSarabando e Castro Carneiro
Momento de poesia com Olga Dias e José Carlos Costa
Senhora da Hora – Junta de Freguesia
Com JSarabando e Castro Carneiro
Fânzeres – Centro Republicano e Democrático (Comemorações do 25 de Abril da Junta de Freguesia de SPedro da Cova e Fânzeres)
Com JSarabando e Castro Carneiro
Viseu – Espaço Faces (Comemorações Populares do 25 de Abril)
Com JSarabando e Castro Carneiro
Momento de poesia e música com Eva, e outras
Sto.Tirso – Biblioteca Municipal
Com JSarabando, Castro Carneiro e João Ferreira (membro da APJD)

Registo total de presenças : cerca de 260 pessoas

Primeiro de Maio

A associação marcou presença em mais um 1º de Maio

Na Alameda D. Afonso Henriques
Na manifestação


29 Abril - ARPI Ass de Reformados, Pensionistas e Idosos dos Olivais

A ACR foi representada pelo militar de Abril, Marques Pinto

Mais de meia centena de pessoas partilhou desta comemoração.
Como sempre falar no Gen Vasco Gonçalves foi o ponto alto e mais apreciado sobretudo numa associação em que 90% dos presentes incluindo  o Grupo coral dos Arcos da Damaia , eram jovens em 1974.

28 Abril Seixal




Almoço promovido pelos Trabalhadores dos Serviços Sociais da CM do Seixal com a participação de cerca de 200 pessoas, trabalhadores em maioria.
Representou a Associação o militar de Abril Almeida Moura.






25 Abril - Junta de Freguesia de S. Domingos de Benfica

Confraternização organizada pela Junta.
Nas instalações do Fórum Grandela, com a presença de vários cidadãos e a participação de Henrique Mendonça, militar de Abril.

25 de Abril - Galeria de arte JMMorais e Gonçalves Advogados

Na Galeria de arte JMMorais e Gonçalves Advogados, em Faro, a par de uma exposição de pinturas, esculturas, cartazes e Jornais da época, relacionadas com o Período Revolucionário de 1974 e 1975, foi feita uma evocação do saudoso General Vasco Gonçalves, uma das grandes figuras do Movimento das Forças Armadas que, com o apoio popular derrubaram a Ditadura Fascista de Salazar e Caetano e abriram caminho para a conquista da Liberdade e de importantes conquistas revolucionárias no domínio social, económico e politico em Portugal.
Essa evocação foi feita, perante os participantes no evento, por Sequeira Alves, militar de Abril, em representação da Associação Conquistas da Revolução.
O orador, considerando a sua vivência nesse período, evocou alguns momentos, onde a participação do General Vasco Gonçalves foi determinante para a História do nosso pais, e salientou a figura de Homem, Militar e Governante do General do Povo. 
Pela sua Coragem,  Espirito Revolucionário, Democrata e Humanismo o General Vasco Gonçalves com o Povo e o MFA revolucionário, deixaram marcas importantes naquilo que ainda é a Constituição da Republica Portuguesa 

25 Abril - Alpiarça

Representante da ACR, nas comemorações do 25 de Abril, em Alpiarça: Manuel Carvalho, militar de Abril.

Houve, inicialmente, uma homenagem no Largo Salgueiro Maia, junto ao Monumento do Cravo, que simboliza a Revolução, onde o representante da ACR teve uma pequena intervenção e depois depositou, acompanhado por um jovem da organização, um ramo de cravos vermelhos junto ao monumento. Tudo isto abrilhantado pela filarmónica da terra que interpretou a Grândola, despedindo-se com a marcha do MFA.

Mais tarde, realizou-se o almoço, com mais de 200 pessoas,  seguida de uma única intervenção do representante da ACR que junto, em anexo.

25 Abril - Desfile popular em Lisboa

Como vem sendo hábito a ACR participou no desfile popular comemorativo do aniversário do 25 de Abril


25 de Abril - Évora




Promovida pela Associação Povo Alentejano, comemorou-se o aniversário do 25 de Abril com a presença de cerca de 300 pessoas. A associação fez-se representar pelo vogal da direcção Modesto Navarro.





25 Abril - Almoço comemorativo no Barreiro



Largas dezenas de democratas participaram no almoço-convívio comemorativo do 43º aniversário do 25 de Abril, que teve lugar no passado domingo, dia 23, na Escola Básica da Quinta Nova da Telha, no Barreiro, e para o qual a Associação Conquistas da Revolução foi de novo convidada.
Da iniciativa das Juntas das Uniões de Freguesia do Alto Seixalinho, Santo André e Verderena, do Barreiro e Lavradio, de Palhais e Coina, e da Junta de Freguesia de Santo António da Charneca, Presidentes e representantes destes orgãos autárquicos (que colocaram enfâse na luta pela reposição das Juntas, naturalmente), os Presidentes da Assembleia e da Câmara Municipal antecederam o Comandante Manuel Carvalho, Militar de Abril, da Direcção da ACR.
Quanto a Carlos Humberto, Presidente da Edilidade, a emoção foi evidente na recordação do combate ao fascismo naquela terra e do preço que muitos tiveram de pagar.

Intervenção de Manuel Begonha na apresentação do livro " Abril Caderno de Memórias" da autoria do nosso associado Nuno Pinto Soares



No passado dia 21 de Abril foi apresentado o livro "Abril Caderno de Memórias" da autoria do nosso associado Nuno Pinto Soares.
A Associação foi representada pelo nosso presidente de direcção que na altura proferiu a intervenção que se reproduz.




________________________________________________

Em nome da Direcção da Associação conquistas da revolução, vou ler um pequeno texto. Optei pela leitura porque numa ocasião como esta, não quero que se percam palavras.

Evoco aqui a obra de Robert Musil.

A personagem do livro, é estranhamente indiferente e não reconhece as suas qualidades.

A sua atitude e entendimento da sociedade, denota falta de profundidade e uma desesperante capacidade analítica que o obrigam a recorrer ao mundo exterior para formar o seu carácter.

Vem isto a propósito, de me propor falar do seu contrário que é o Nuno Pinto Soares que é um homem de qualidades. A sua vida demonstra uma luta constante entre a razão e a alma, com a moral e a ética com ponto de equilíbrio e o ideal como guia e epicentro.

É um homem que tive o privilégio de encontrar na Revolução, tendo referência comum o apreço e a amizade pelo General Vasco Gonçalves.

Sempre admirei no Nuno a sua largueza de horizontes, profundidade de pensamento e fina inteligência. É uma personalidade especial que dá particular importância aos valores da verdade e da opinião.

No aspecto profissional, quero apenas recordar duas situações: a sua acção como Comandante da Academia Militar, onde instituiu uma alteração pedagógica notável na relação professor aluno e a sua inteligência política na condução dos cadetes numa campanha de dinamização cultural no Distrito da Guarda.

Por tudo isto, termino acreditando ser justíssimo desejar que este livro tenha o sucesso que o seu autor merece.

24 Abril - Zona Oriental de Lisboa

Como vem sendo hábito a Zona Oriental de Lisboa festeja o aniversário do 25 de Abril.
Representou a ACR o nosso sócio e militar de Abril, Lima Coelho.

24 Abril MOITA

Moita também contou com
a Associação Conquistas da Revolução

   

Coube ao Comandante Marques Pinto, Militar de Abril, em representação da ACR, da qual é membro da Direcção, deslocar-se ao Quintal da Capricho Moitense, na Moita, a convite da Comissão Promotora de um jantar-convívio comemorativo do 43º aniversário do 25 de Abril.    
A iniciativa congregou cerca de 60 democratas na noite de 24, e foi dirigida por Teresa Lésico. O conjunto de jovens presentes, alguns dos quais com responsabilidades autárquicas ao nível do Município e da Freguesia, foi traço marcante do convívio que não deixou de ser ponto de encontro para a saída à rua a caminho da participação nos festejos populares.